Fome Emocional – A minha história e 3 estratégias 

Fome Emocional - A minha história e 3 estratégias

Primeiro é importante definirmos o que é a fome emocional – a fome emocional é o consumo de comida, associada a uma sensação de perda de controlo.

 

A verdade é que a fome emocional é muito comum. Inclusive, já fui “vítima” de uma relação menos positiva com a comida.

 

No meu caso, era o cansaço e o stress que estavam a provocar estes episódios – o padrão era sempre o mesmo , dia cansativo, ou stressante, e logo que tinha oportunidade de relaxar (por norma à noite), a comida tornava-se o meu “conforto”.

 

Estes episódios, naturalmente, estavam a criar uma relação pouco saudável com a comida, e a verdade é que sentia vergonha por isso : “como é que eu, no topo da minha forma física, não conseguia ter controlo sobre as minhas escolhas….”

 

Este meu relato serve para demonstrar que não estás sozinha/o. A fome emocional pode afetar qualquer pessoa, e se isso acontecer, ou quando acontecer, é importante por em prática estratégias para ajudar a eliminar, ou aliviar estes episódios.

 

Estas são 3 estratégias que coloquei em prática e algumas das estratégia que utilizo com os meus alunos:

 

1.º Rotina – estabelecer padrões nos horários e no número de refeições. diárias, ajuda a  criar estrutura. Esta estrutura naturalmente que deve ser ajustada ao teu estilo de vida, mas sabe que esta é uma das estratégias mais “poderosas” para lidar com a fome emocional;

 

2.º Motivo – a fome emocional pode surgir por vários motivos : cansaço, stress, aborrecimento, solidão, etc. Saber identificar o motivo e que sensações/emoções antecedem estes episódios, vai ajudar-te a criar estratégias para atempadamente minimizares este risco.

 

3.º Relação com os chamados alimentos “proibidos/maus” – classificar os alimentos como “proibidos/maus ”, apenas vai criar uma relação de ansiedade e culpa, pois mal acabes de comer um destes alimentos, vais-te julgar, e ceder à nefasta crítica interna. Sabe que a moderação é sempre a palavra-chave e todos os alimentos tem o seu lugar numa alimentação saudável;

 

Cada uma destas estratégias precisam de planeamento, consistência, paciência e provavelmente personalização, pois cada caso é um caso, mas podem ser uma luz para ajudar a eliminar, ou aliviar estes episódios.

 

Acima de tudo, sabe que não estás sozinha/o e que é possível vencer a fome emocional.

 

Estamos Juntos!

Tiago Guedes 

Comente